4 Dicas Para Controlar o Crescimento de Algas e Fungos em Superfícies de Concreto

Protegendo Superfícies Cimentícias Contra Algas e Fungos

Estruturas ao ar livre são expostas a muitos elementos que causam desgaste e danos ao longo do tempo, mesmo tais superfícies duráveis, como concreto, argamassa ou revestimentos à base de cimento. O crescimento de fungos e algas nessas superfícies poderá acarretar em problemas desagradáveis, e muitas vezes o reparo pode custar bem caro. O controle total do crescimento de fungos e algas requer uma abordagem sistemática para reduzir as chances de que um fungo ou algas oportunistas possam começar a enraizar, começando desde a parte inicial do projeto/construção, até a manutenção a longo prazo. Controlar o crescimento de algas e fungos em estruturas de concreto requer um sistema que incorpore o seguinte:

1. Design apropriado Para Controlar o Fluxo de Água

Um dos pontos chave para a prevenção de fungos e algas em superfícies cimentícias é controlar o fluxo e a presença de água. Para superfícies exteriores, isto é feito principalmente com um design adequado que usa assistência gravitacional para canalizar o fluxo de água para longe da estrutura. A Figura 1 ilustra um projeto de parede que controla adequadamente o fluxo de água, reduzindo significativamente as chances de contaminação por fungos ou algas. Se não há contaminação, então não há necessidade de tratamento de fungos ou algas.

Figura 1 - Bons elementos de design de uma parede externa para reduzir as chances de crescimento de fungos ou algas.

Algae Treatment

2. Um Bom Acabamento Beneficia o Controle de Algas e Fungos

Um design adequado pode ser facilmente derrotado por mão de obra inapropriada e materiais inferiores. O concreto se misturado inapropriadamente irá rapidamente quebrar e/ou rachar, permitindo a entrada de esporos de fungos e oferecendo-lhes apoio na estrutura, o que exigirá algum tipo de tratamento antifúngico. A Figura 2 mostra uma coluna feita de concreto mal misturado; a grande quantidade de água na mistura causou rachaduras na superfície, permitindo que os fungos se infiltrassem. Como o fungo cresce na rachadura, ele vai se infiltrar por trás da estrutura, causando mais bolhas e mais danos. A Figura 3 mostra uma parede que está indevidamente inclinada através do topo para permitir a drenagem da água. A água se acumula e com isso as algas e fungos crescem sem nenhum tipo de dificuldade.

Figura 2 - Rachaduras no concreto fizeram com que a superfície ficasse exposta, dando ao fungo um ponto de apoio na superfície e, exigindo um tratamento contra fungos.

Figura 3 - O topo da parede está indevidamente inclinado para drenar, permitindo que a água se acumule e os fungos cresçam.

Image
Image

3. Microban® Microguard® Tecnologia Antifúngica e Anti Algas

Especialmente em áreas com alto índice de umidade e baixa exposição à luz solar, outra camada de proteção é muitas vezes necessária para evitar o crescimento de algas e fungos. Os aditivos Microban podem ser facilmente incorporados em materiais cimentícios tais como argamassas ou revestimentos de cimento altamente pigmentados em baixas dosagens, especificamente para controlar o crescimento de algas e fungos. A eficácia foi demonstrada em testes de exposição ao ar livre realizados na Flórida; Os resultados de tal teste são mostrados na Figura 4. As amostras não tratadas de um revestimento cimentício começaram a demonstrar crescimento fúngico após 9 meses e uma maior diferença na amostra tratada foi observada após 12 meses. As amostras foram enxaguadas duas vezes por semana com uma solução ácida para simular a poluição, acelerando o envelhecimento por um fator de 6,5x; A amostra de 12 meses sugere que a superfície com tratamento permaneceria livre do crescimento de fungos e algas por mais de seis anos.

4. Manutenção Para Prevenir o Crescimento de Algas e Fungos

Manutenção e limpeza regulares devem sempre ser parte do planeamento a longo prazo para uma estrutura. Os buracos ou as rachaduras que se desenvolvem independente de qualquer motivo, devem ser reparados rapidamente para impedir que o crescimento de algas ou fungos comecem a surgir. As superfícies também devem ser limpas regularmente. Qualquer superfície aonde o lodo ou a sujeira possam crescer se torna um lugar para os fungos e as algas se desenvolverem. O crescimento acontece sobre a camada superficial de sujeira, ao invés de crescer sobre a superfície que contém o tratamento contra algas e fungos, mas pode levar à penetração superficial uma vez que o crescimento é estabelecido, como mostra a Figura 5.

Figura 4 - Amostras não tratadas de um revestimento de cimento mostram crescimento fúngico após 9 meses e uma clara diferença nas amostras tratadas e não tratadas foi observada após 12 meses. Isto demonstra a funcionalidade dos aditivos Microban para controlar o crescimento de algas e fungos durante mais de seis anos devido aos fatores externos de degradação.

Figura 5 - Os trilhos de vedação horizontais mostram um grau muito alto de contaminação visual. Na limpeza realizada com água e uma pequena escova de esfregar, a contaminação é removida, e o cimento protegido com a tecnologia Microban não mostra sinais de danos causados por fungos ou algas.

Image
Image

Conclusão

Para evitar o crescimento de algas e fungos em superfícies cimentícias, é necessário implementar uma abordagem que faça parte do projeto, acabamento, limpeza e aditivos que inibam o crescimento microbiano, como o Microban Microguard®. Quando todos estes aspectos forem considerados e devidamente executados, as superfícies permanecerão limpas e livres desse problema desagradável.