ZPTECH™

Eficaz contra as bactérias, bolor e mofo.

More

Quando a limpeza normal não é suficiente

A busca da limpeza é um negócio grande. Um cidadão americano em média gasta 42 dólares por mês em produtos de limpeza para o lar, mais do que aquilo que gastam para a TV por cabo, telemóveis, higiene pessoal ou até mesmo com os seus amados animais de estimação, a tentar eliminar bactérias e fungos dos seus ambientes.

Os produtos retentores de humidade, tais como esponjas, tapetes de casa de banho, expostos a ambientes húmidos como casas de banho e balneários, proporcionam excelentes condições de reprodução de bolor, mofo e bactérias. Estes microrganismos, deixados sem controle, poderão levar à produção de odores e danos em produtos e superfícies.

Os produtos químicos desinfetantes são uma forma importante para manter os nossos lares e espaços públicos limpos, mas não proporcionam o controle contínuo de microrganismos. Por exemplo, os desinfetantes aprovados para uso em hospitais reduzem rapidamente as contagens de bactérias, mas após 120 minutos de secagem, as bactérias ressurgirão acima do nível de segurança estabelecido de 250 CFU/100cm2 e a desinfeção tem de ocorrer novamente, de modo a manter a contagem de bactérias num nível baixo.

Além disso, os desinfetantes podem conter produtos químicos agressivos, incluindo lixívia e peróxido, os quais poderão causar irritação respiratória, serem nocivos caso ingeridos, ferir a pele nua e danificar ou descolorir os objetos que estão a tentar tratar. Torna-se claro que depender meramente dos produtos químicos desinfetantes para controlar os microrganismos de forma contínua é virtualmente impossível.

O amplo espectro antimicrobiano

Ao contrário de outros antimicrobianos como a prata e o cobre, o ZPTech é um antimicrobiano de largo espectro eficaz não só contra as bactérias mas também contra o crescimento de fungos, incluindo bolor, mofo e algas.

O ZPTech baseia-se na piritiona de zinco que foi pela primeira vez desenvolvida na década de 30 do século XX pelas suas propriedades antifúngicas e antibacterianas e continua a ser comummente usada como ingrediente principal em champôs anti-caspa e como tratamento de venda livre para dermatite seborreica, psoríase, eczema, pé de atleta, micose e outros problemas de saúde. A piritiona de zinco também é utilizada em tintas, têxteis e produtos de polímeros para inibir o crescimento de bactérias e de fungos em superfícies suscetíveis.

O ZPTech da Microban oferece baixa solubilidade (8 ppm), tornando-o num antimicrobiano bastante durável. O teste de durabilidade demonstra que os polímeros embebidos durante 2000 horas a 70°C num banho de detergente que contém 3000 ppm de ZPTech permaneceram 99,99% eficazes na prevenção do crescimento da Klebsiella pneumoniae, uma bactéria gram-negativa associada a infeções adquiridas em hospitais.

A sua estabilidade térmica, até 235°C, torna-o adequado para utilização numa variedade de aplicações de fabrico e materiais de polímeros termoplásticos para utilidades.

O ZPTech da Microban não foi concebido para substituir um desinfetante, mas para complementar e alargar a eficácia das rotinas de desinfeção química normalizada. Isto acrescenta outro nível de defesa no combate às bactérias, ao bolor e ao mofo. Com o ZPTech da Microban, a tecnologia está constantemente ativa na superfície e pronta a ser libertada. É disperso ao longo do polímero durante o processo de fabrico, pelo que o ZPTech permanece eficaz mesmo no caso de o objeto estar cortado, arranhado ou raspado pelo uso.

O ZPTech é um antimicrobiano de amplo espectro e os seus múltiplos modos de ação contra as bactérias e os fungos evitam que os microrganismos se adaptem e desenvolvam resistência contra este. Possui aprovação da FDA como tratamento para caspa e outras infeções fúngicas em níveis elevados e em níveis baixos (abaixo de 1000 ppm), está registado na Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos e na Agência Americana dos Medicamentos e da Alimentação (FDA) como seguro para uso numa variedade de aplicações, incluindo as que estabelecem contacto com alimentos.

A piritiona de zinco pura é tóxica e requer equipamento especial e procedimentos operacionais para o seu manuseamento. O ZPTech da Microban encapsula a piritiona de zinco em transportadores personalizados, tornando-o não só seguro para o fabricante como também minimiza qualquer alteração na produção. A tecnologia fica vinculada ao material e permanece inerte até entrar em contacto com um ambiente húmido no qual podem crescer bactérias ou fungos. A humidade encoraja a libertação de quantidades ínfimas de zinco – suficientes para inibir o metabolismo dos microrganismos e evitar a reprodução, sem efeitos nocivos para os seres humanos.

Como é implementado o ZPTech™

A Microban trabalha individualmente com conversores de polímeros para tornar a integração do ZPTech o mais simples e fácil possível sem perturbar os atuais processos de fabrico.

Os nossos engenheiros desenvolvem fórmulas personalizadas do ZPTech para cada produto. As fórmulas são testadas com os próprios polímeros dos fabricantes, quer para fins de eficácia do antimicrobiano, quer para assegurar que o ZPTech não deteriora a estética ou função do produto, incluindo os produtos que provavelmente serão expostos com frequência à luz UV, que poderá amarelar os produtos que contêm zinco.

A segurança é sempre a nossa principal preocupação e fazemos uso da nossa experiência para garantir que o ZPTech é seguro e não-tóxico ao longo da cadeia de fornecimento, desde o transporte, passando pelo fabrico até aos utilizadores finais.

Ao fornecer o ZPTech aos fabricantes na forma encapsulada, os masterbatches termoplásticos ou dispersões líquidas e a formação do pessoal de fabrico sobre o seu uso adequado, a Microban torna a produção de produtos de polímeros de ZPTech muito segura e fácil.